Tulum, onde as ruínas encontram o mar

As ruínas de Tulum, na costa da Península de Yucatán
As mágicas ruínas de Tulum, na costa da Península de Yucatán

Nadar em um mar azul-esverdeado, à sombra de ruínas maias que têm mais de sete séculos de história, é uma dessas agradáveis surpresas que a gente encontra no caminho quando está viajando. Eu tive essa sorte ao visitar Tulum. Uma zona arqueológica incrível, pelo visual que oferece na costa caribenha mexicana.

Como as ruínas estão dentro do Parque Nacional de Tulum, é possível avistar vários animais que passeiam entre os turistas. Eu tive a sorte de ver grandes salamandras, aves, macacos e tatus.

Tulum (54) Tulum (42)

O lugar não é muito grande, em apenas uma hora é possível conhecer a zona e ver de perto o templo, o castelo e outras ruínas que estão em bom estado de conservação. Segundo arqueólogos, essa cidade amuralhada foi bem importante durante a civilização maia porque estava estratégicamente posicionada na rota comercial do mar caribenho.

Depois de conhecer parte dessa história e de caminhar sob o sol, é hora de correr para o mar, que está a 12 metros de altura das ruínas de Tulum. Quem gosta de praia sossegada, deveria ficar por ali e explorar um pouco mais esse lugar paradisíaco! O atrativo dessas praias é que essa costa (ainda) não tem grandes construções. Além disso, para quem curte esportes aquáticos, essa região é uma boa pedida. Ali dá para fazer snorkel, kite-surfing e mergulhar em cenotes, cavernas aquáticas.

Tulum (31) Tulum (69)

E sabe que depois de um belo dia de sol e de mar eu me dei conta de que as praias de Tulum me impressionaram? Sim, porque esse é um dos poucos lugares da Península de Yucatán que ainda não foi invadido pelas redes hoteleiras, nem pelas ávidas construtoras.

Areia branca, mar transparente, vegetação rasteira e a sincronia dos séculos de história com a natureza me fizeram pensar em que se o paraíso se parece com este lugar, deve ser muito bom ir pra lá!!

Detalhes
Tulum fica a 130 km de Cancún e 63 km de Playa del Carmén.
Para quem quiser mais detalhes históricos, vale a pena fazer a visita acompanhado de um guia. Há vários na entrada das ruínas. Eu fiz sozinha mesmo. Quando estive lá (em novembro de 2011) paguei US$4 (51 pesos mexicanos) pra entrar nas ruínas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *