Ntxuva, o tal do xadrez africano

ntxuva moçambique

Pelas ruas de Moçambique é comum ver pessoas jogando ntxuva, um curioso tabuleiro de madeira com vários buracos e muitas bolinhas ou pedrinhas. Quero dividir com vocês algumas coisas sobre esse jogo e um pouco mais sobre a cultura deste belo país africano.

A primeira vez que vi alguém jogando ntxuva foi na Ilha de Moçambique. Parei para tirar umas fotos, pedi para um dos moços me ensinar e a sua resposta foi: – Ah, é muito difícil. Fica aí olhando que você aprende! Helloooooooo. Olha que tentei, mas depois de 15 minutos cansei de ver as bolinhas indo de um lado pro outro e ninguém me explicava nada. Fui embora, mesmo porque paciência ainda não é o meu forte. ;)

ntxuva moçambique

Minha primeira lição de como se joga ntxuva.

Neste último sábado, no Mercado Central de Lichinga, tive mais sorte. Um tanzaniano muito paciente explicou pra mim e pra Luísa, uma voluntária portuguesa muito gira, um pouco mais sobre o jogo, mas confesso que ainda não consegui entender todas as regras. Esse jogo é mais complicado do que parece, é preciso usar raciocínio e aritmética. Há quem diga que o ntxuva é o xadrez africano.

Fiz um pequeno vídeo na hora em que nosso “professor” nos explicava, mas o som de uma barraca do lado estava muito alto, então não dá pra entender lá muito bem. Aliás, os moçambicanos adoram ouvir música muuuuuito alta, sempre. Puffff.

Bom, passo pra vocês o que aprendi: o ntxuva se joga com 96 bolinhas e no tabuleiro há 46 buracos. O objetivo é conquistar todas as peças do adversário. Dizem que na época da ocupação colonial em Moçambique, esse era o passatempo preferido dos soldados.

ntxuva moçambique

Teve até torcida. Juntou um pessoal quando viram uma “mulungu” (branca) jogando.

Na maioria das províncias moçambicanas esse jogo se chama ntxuva, mas em outras, como em Lichinga, a brincadeira é mais conhecida como bau.

Se alguém souber jogar e quiser me ensinar, cá estou pronta pra aprender!

Muito mais sobre Moçambique:

- Quais vacinas tomar antes de ir pra África
- Em Moçambique o tempo tem outro ritmo
- Voluntariado e turismo, volunturismo
- Viajar, felicidade + despedidas
- Capulana, uma identidade moçambicana
- Feliciano dos Santos, um visionário do Niassa
- Cervejas de Moçambique
- Sufoco, viajar de chapa em Moçambique é isso
- Irmã Ferreira, um exemplo de mulher
- Danças típicas de Moçambique

6 Comments

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>