Cotopaxi, um vulcão majestoso

Uma das razões pela qual eu quis visitar o Equador era pra ver um vulcão de perto. E se tem uma coisa que o país tem se sobra é isso. O Equador tem cerca de 40, contando com os vulcões de Galápagos. O mais próximo de Quito (55 quilômetros), e um dos mais famosos do país é o Cotopaxi. Esse vulcão é um dos mais altos (5.897 metros) e famosos do mundo, principalmente por ainda estar ativo. A menos de duas horas de carro de Quito, o Cotopaxi fica na Avenida de los Volcanes, na Cordilheira dos Andes. Eu não subi o vulcão, fiquei com medo de não conseguir. Uma pena, mas espero um dia poder voltar pra escalar. Conversei com outros viajantes que subiram e muitos me disseram que não é tão difícil assim. Parece que a subida dura entre 6 e 7 horas. Várias agências de turismo em Quito oferecem pacotes que incluem transporte, alimentação, guia, equipamento especial e uma noite no refúgio.

Mesmo pra quem não escala o vulcão, que tem o cume todo nevado, a visita ao Parque Nacional vale muito a pena. O lugar é imenso, tem cerca de 33 mil hectáreas, e dentro do parque dá pra fazer várias caminhadas, visitar a Laguna Lumpiopungo e avistar alguns animais. Cotopaxi (7) Algo super super bacana pra fazer também é passar a noite dentro do parque. O único hostel que tem lá dentro é o Tambopaxi. Esse lugar é um oásis de aconchego em meio ao frio que faz lá em cima. O hostel está a 3.750 metros de altitude. Tomar café da manhã olhando o dia amanhecer e o Cotopaxi através das janelas é uma dessas experiências pra guardar na memória. O alojamento é bem fofinho, parece uma dessas cabanas dos Alpes Suíços. A única parte ruim é que o banheiro não tem calefação e o frio é forte. Por isso eu nem tive coragem de tomar banho lá.

O que levar
Faz muito frio lá em cima, muito mesmo. O cume do vulcão está sempre nevado e também venta bastante. Leve roupa bem agasalhada, o melhor é ir com várias camadas (tipo cebola), gorro, botas para trekking, cachecol, protetor solar e óculos de sol.


Onde ficar

O hostel Tambopaxi tem duas partes; quartos coletivos com várias camas e casinhas separadas para quem prefere mais intimidade. Eu paguei US$25 por uma noite num quarto coletivo, que estava super limpo. O café da manhã não está incluído (US$8).

Outro lugar onde dá pra passar a noite é o Refúgio José Ribas, que está a 4800 metros. Esse é o lugar onde o pessoal e os guias que escalam o vulcão passam a noite antes de partir. Tem que levar saco de dormir e pagar cerca de US$10 pra pernoitar. Ah, também dá pra acampar no parque, mas só em determinadas áreas.

Outra alternativa é ir até o Cotopaxi e descer uma parte de bicicleta. O Rafael, do Esse mundo é nosso, conta como é essa experiência.

Se quiser saber o que visitar em Quito, tem outro post aqui.

4 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *