Cuenca, uma joia equatoriana

Se você me perguntar qual foi a cidade que mais gostei no Equador? A resposta é Cuenca. Curti tanto esse lugar charmoso, pequeno e cultural que gostaria de ter ficado mais tempo lá. Visitei Cuenca, junto com a blogueira do Peru, Lourdes Chuquipiondo do Place Ok, durante um blog trip organizado pela Fundación Cuenca.

Felipe, Lourdes, o guia e eu.

Meu passeio começou pelo charmoso centro histórico colonial, que é Patrimônio da Humanidade. Fachadas bem conservadas, igrejas, casarões imponentes e praças com ar de cidade do interior. Pra mim, Cuenca tem a combinação perfeita de um lugar pequeno com um leve ar de metrópole. Além disso, quatro rios cortam essa que é a terceira maior cidade do Equador.

Achei que Cuenca é uma das cidades equatorianas que mais preserva a sua cultura. Pelas ruas é super comum ver as cholas (mulheres que usam a vestimenta tradicional) exibindo suas saias compridas com coloridas blusas bordadas, longas tranças e chapéu, com muito orgulho.

Roupas típicas de cholas

Atrações
Quando estou viajando, adoro visitar mercados municipais, e o Mercado 10 de Agosto é um dos mais legais em que já estive. Cores, cheiros e ruídos se misturam com locais e turistas que passeiam pelos corredores. Ali dá pra comprar desde frutas diferentes, carne, souvenirs até ervas medicinais pra tudo quanto é tipo de dor.

Sem falar da parte das comidas. Ufffff esse é um presente para os olhos e pro estômago. Um dos pratos típicos de Cuenca é o lechón assado (porco) acompanhado de mote pillo (tipo um feijão branco com ovos, manteiga e temperos), delicioso!

Delicioso mote pillo
Delicioso mote pillo

O legal é sentar no mercado pra comer lá sem pressa. Se não for hora do almoço, aproveite pelo menos para provar algum refresco ou uma vitamina com as diversas frutas diferentes do país. Eu curti muito a naranjilla, que é meio azedinha, e o tomate de árbol, que tem um sabor levemente parecido com o do caqui.

Tomate de árbol

Outro lugar que não pode ficar de fora é a Catedral da Inmaculada Concepción. Aliás, suas cúpulas são o cartão postal da cidade. A construção foi inspirada na catedral de Cracóvia. Na frente fica o Parque Calderón. É ótimo sentar ali pra observar o ritmo tranquilo dos moradores e como alguns fotógrafos esperam pacientemente pra fazer um retrato de algum cliente.

Catedral

Muita gente pensa que Cuenca se resume somente ao centro histórico, mas lá tem muito mais pra visitar. O Museu Pumapungo é um desses lugares. Dentro do complexo fica o Museu da Moeda, o Arqueológico e o Etnográfico. Este último está bem montado; vestimentas típicas, objetos e casas tradicionais de diversas etnias que compõem o país.
Além disso, na parte de fora estão as Ruínas de Pumapungo e o Jardim Botânico, um pouco mais pra baixo.

Pra ver a cidade lá do alto, uma boa pedida é visitar o Mirador Turi, que leva o nome da igreja que fica no mesmo lugar. Dá pra chegar lá de táxi ou subindo 405 de degraus a pé. Se o dia não estiver nublado, a vista compensa.

Ali perto fica o ateliê de cerâmica do artista Eduardo Vega. Esse é um bom lugar para comprar peças de cerâmica coloridas e de bom gosto, feitas pelo famoso artista e muralista equatoriano. Sem falar que só a visita ao seu ateliê já vale o passeio.

Além de tudo isso, Cuenca é conhecida por fabricar os famosos chapéus panamenhos que, na verdade, não são feitos no Panamá. No próximo post vou contar mais sobre isso.

Onde comer
Cuenca é reconhecida internacionalmente pela sua culinária. Um dos pratos mais famosos é o cui assado. Um bicho que é uma mistura entre hamster e coelho. Confesso que não provei, mas quem comeu disse que é realmente delicioso.

E pra quem quer viver uma experiência gastronômica diferente, algo que mescla explosão de sabores, excelente atendimento e comida tradicional, recomendo ir ao Tiestos.

Começando pela decoração do local, passando pela variedade do cardápio e terminando com a simpatia do proprietário e chef Juan Carlos Solano. Garanto que uma ida lá não é uma simples saída pra jantar fora.

Uma sopa de camarão levemente picante para abrir o apetite, berinjela com molho de mostarda pra ir animando, e pra fechar com chave de ouro gourmet, frango ao curry com macadamias. Não há quem resista, gente!! Se eu tivesse que descrever essa noite em poucas palavras, diria que foi uma orgia gastronômica sensacional!! E como se isso fosse pouco, o chef também é artista. Dá só uma olhada na decoração que ele faz nos pratos de sobremesa. O único problema é que depois dá pena comer.

Pra ter uma ideia de preços, um menu degustação (para duas pessoas) com sobremesa e vinho custa US$70. Ah, como o lugar é mega badalado, tem que fazer reserva antes.

Onde dormir
Cuenca é uma cidade bem turística e tem alojamentos para todos os bolsos. Nós ficamos hospedadas no simpático Morenica Hotel Boutique no centro histórico (custa entre US$70 e US$80 – quarto duplo). Os quartos não são muito grandes, mas o lugar é aconchegante, limpo e bem localizado. O hotel tem um ar assim meio de casa da gente e um café da manhã bem completo.


Mil pontos para o bolo de chocolate caseiro feito com chocolate equatoriano, como não poderia deixar de ser, uma delícia!!
As duas noites que passei no Morenica foram cortesias.

Como chegar
Cuenca fica a 440 quilômetros ao sul de Quito. De ônibus desde a capital, a viagem dura entre 10 e 12 horas. Já desde Guayaquil são cerca de 6 horas. A cidade também tem aeroporto e existem algumas opções de voos desde Quito e Guayaquil.
Como Cuenca está a 2.550 metros acima do nível do mar, é importante levar um agasalho, principalmente pra usar durante a manhã e no fim da tarde.

Eu conheci a cidade a convite da Fundación Cuenca, nesse que foi o primeiro blog trip organizado por eles. E como eu gosto de compartilhar as boas experiências que tive, nós percorremos Cuenca com o guia Wilson Avila (wilsonavila1@hotmail.com), que nos mostrou cada cantinho. Eu recomendo ele pela sua simpatia, conhecimento e boa disposição.

Quer saber mais sobre Cuenca Também escrevi estes posts aqui:

– Parque Cajas
– Onde é fabricado o chapéu panamenho
Turismo comunitário

Tem mais posts do Equador aqui!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *