Patagônia – Nadando com leões-marinhos

 

Mal aterrisei no sul da Argentina e o primeiro encontro em Puerto Madryn foi com centenas de leões-marinhos. E bota encontro nisso; literalmente mergulhei com eles.
Um dia de sol e o mar azul me deram as boas-vindas à Patagônia argentina.

Ainda na praia, colocamos toda a roupa de neoprene, com direito a macacão, botas, luvas e gorro. Depois de receber as intruções de como boiar e se mexer com toda aquela roupa na água, de como bater as pernas para atrair os animais, entramos numa lancha e começamos a navegar. O mar não estava tão frio, mas confesso que fiquei feliz em usar toda aquela proteção, caso algum leão-marinho chegasse muito perto de mim.

madryn leoes

Depois de meia hora, chegamos na Reserva Natural Punta Loma. Ali, dezenas, centenas, muuuuito deles tomavam sol e brincavam numa boa no meio das rochas. Mal tive tempo de me arrumar e o instrutor contou; 3, 2, 1, pluft! Todos na água.
Começamos a nadar em grupo, sempre juntos, e em poucos minutos estávamos rodeados de muitos leões brincalhões. Uma amiga ganhou até mesmo um beijo na boca de uma leoazinha um pouco mais ousada.

madryn leoes madryn leoes

Como também tínhamos snorkel, deu pra observar como esses bichinhos são ágeis e adoram fazer piruetas no mar. Pra você ter uma ideia, num momento estava olhando meus amigos na água e senti um peso na minha cabeça, era um leão-marinho que literalmente pulou em cima de mim. A primeira reação foi gritar, mas logo entendi que ele só queria brincar comigo. Ufa!

A emoção de ter esses animais tão perto me fez até mesmo esquecer da temperatura do mar, que deveria estar nuns 14ºC. Faz pouco tempo visitei Galápagos e cheguei a conclusão que estive muito mais perto dos leões-marinho no mar em Madryn do que no Equador. Não sei se pela quantidade ou pela interação na água, mas curti muito mais ter mergulhado com eles na Argentina do que nas ilhas equatorianas.

madryn leoes

 

leão marinho patagônia

Depois de uns 40 minutos de brincadeiras e muitas risadas, foi hora de voltar pra lancha. Na volta, todo mundo queria contar ao mesmo tempo o que tinha sentido durante essa experiência única.

Como essa área é protegida, as autoridades que cuidam da reserva natural não permitem que mais de 18 pessoas mergulhem com os leões-marinhos ao mesmo tempo. Além disso, o tempo máximo permitido na água é de 45 minutos por embarcação.

Serviço
Fizemos esse passeio em Puerto Madryn com a empresa Lobo Larsen. A excursão custa ao redor de US$80 por pessoa (com roupa especial incluída), e dura cerca de 2 horas. Eles também oferecem fotos e vídeos (por US$20), que vale a pena ter porque a menos que você tenha uma máquina fotográfica aquática, não vai conseguir registrar esse incrível momento.

Eu conheci Puerto Madryn a convite da Secretaria de Turismo de Madryn, num blog trip que fiz junto com outros blogueiros argentinos da Red Viajar.

Fotos e vídeo: Lobo Larsen

Mais posts:
Puerto Madryn, porta de entrada da Patagônia
Pinguins na Patagônia
Península Valdés, o paraíso das baleias

2 Comments

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Pode usar estas etiquetas HTML e atributos: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>