Boia cross no rio Nhundiaquara

Um dos passeios que mais gosto de fazer cada vez que vou pra Curitiba é descer o rio de boia, e depois me esbaldar comendo um barreado em Morretes. Para quem gosta de um pouco de adrenalina, lindas paisagens e não tem medo de se molhar, recomendo muito descer o Nhundiaquara de boia, pelo menos uma vez na vida.

Na minha época de escotismo, quando desci o rio várias vezes, bastava alugar a boia, caminhar ladeira acima e curtir a descida pelo rio. Hoje em dia, há um pouco mais de segurança e as empresas que alugam as boias também devem fornecer capacete e colete salva-vidas. Os dois são obrigatórios para a descida.

Chegando em Porto de Cima você vai ver várias casas que alugam boias (câmaras de ar de caminhão). Depois disso, tem que subir cerca de 3km por uma estrada de terra até o ponto onde começa a descida. Geralmente, onde se aluga a boia, o transporte até lá em cima já está incluído.

Capacete e coletes bem amarrados e chegou a hora de colocar a bunda na água. Qualquer pessoa com bom estado físico pode fazer boia cross. O importante é segurar bem na boia, levantar os pés e ficar com a cintura sempre mais pra cima, pra não bater nas pedras. Depois é só relaxar, deixar a correnteza te levar e curtir a paisagem!!

A descida é bem tranquila. Só tem um ponto um pouco mais forte, a escadinha, que é uma pequena corredeira que anima os mais aventureiros. Se você não quiser descer por ali, dá pra pegar a boia na mão e ir pelo lado esquerdo, muito mais tranquilo.

O tempo de descida depende da quantidade de água que tiver no rio. Geralmente, o trajeto dura entre 1h30 e 2 horas. A descida começa na ponte de arame e termina na famosa ponte de ferro.

A última vez que desci (janeiro de 2014) usei os serviços da Pousada Itupava, que fica logo na entrada de Porto de Cima à esquerda. O aluguel da boia custou R$18 (com transporte até o ponto de descida incluído). Bom, o transporte foi feito numa kombi bem caindo aos pedaços e que não abria as janelas. Ou seja, a sauna durante o trajeto de 3km também estava incluída. Tirando isso, o serviço é bom e na volta dá pra tomar uma ducha e trocar de roupa nos vestiários da pousada.

Atenção, a descida não é recomendada para crianças menores de 14 anos ou que tenham menos de 1m50 de altura. Se começar a chover forte, saia do rio imediatamente. E só pra lembrar, não entre no rio se beber álcool.

Se você tiver carro para chegar até Porto de Cima, pode tranquilamente fazer o passeio por sua conta. Só precisa alugar o equipamento e pronto. Outra opção é procurar uma agência de turismo que ofereça o passeio e o transporte desde Curitiba.

Depois de tanto exercício é hora de repor as energias, e pra isso nada melhor do que comer barreado. Esse prato típico é feito à base de carne desfiada (músculo) que fica cozinhando na panela de barro por cerca de 12 horas. E para acompanhar, arroz, farofa e banana, uma delícia bem paranaense.

Um lugar onde costumo almoçar quando desço o rio de boia é a Pensão da Dona Siroba, que fica em Porto de Cima mesmo. Se você almoçar lá, não deixe de atravessar a rua e provar um sorvete no Banana da Terra. O meu favorito é o de abacaxi com vinho tinto. Tãoooo bommm!!

Quando ir
A melhor época pra fazer boia cross é quando o rio está mais cheio, de outubro a maio. Porém, fique de olho na previsão do tempo porque quando chove forte na cabeceira do rio o nível de água aumenta repentinamente (as famosas trombas d´água) e podem acontecer afogamentos ou acidentes sérios. Antes de descer, pergunte para o pessoal que aluga as boias qual é a previsão do tempo e se há perigo de chuva. Os bombeiros costumam avisar se a atividade está liberada ou não.

O que levar
Para descer o Nhundiaquara, a melhor coisa é ir com calça comprida ou legging, camiseta fininha de manga comprida, e tênis ou sapatos de borracha, mas que prendam atrás. Não vá de chinelo porque há grandes chances de perder no meio do trajeto. É melhor ir com calçado fechado por causa das pedras. A calça e a blusa comprida é pra não assar os braços e as pernas na boia. Cuidado também com óculos de sol, uma amiga perdeu os dela no rio. Se tiver uma cordinha daquelas que passam por trás do pescoço é melhor. Além disso, vale levar boné e passar protetor solar. Ah, se tiver máquina de fotos aquática, aproveite para fazer boas fotos.

Como chegar
De carro –
Descer pela BR-277 (sentido Paranaguá) e depois pegar a PR-408 até Morretes. A descida de boia é feita em Porto de Cima, que fica a 6km de Morretes.

Para quem não está com pressa, super recomendo ir pela Estrada da Graciosa (BR-116). Nessa estrada antiga, além da natureza e das belas paisagens, o mais legal é parar pra comer um milho verde ou tomar um suco no meio do caminho. Tem vários quiosques que oferecem vários produtos locais, como a saborosa bala de banana.

Estrada da Graciosa

Não deixe de comprar as deliciosas balas de banana

Não deixe de comprar as deliciosas balas de banana

De trem – Também dá pra chegar em Morretes descendo com o trem da Serra Verde Express. Esse passeio é um dos mais lindos do país; entre precipícios, túneis e paisagens de tirar o fôlego. O trajeto dura cerca de 4 horas.

De ônibus – Outra opção é ir de ônibus. A Viação Graciosa faz o trajeto Curitiba – Porto de Cima. A viagem dura cerca de 1h20.

Mais posts sobre Curitiba:
Pontos turísticos da cidade
Passeio de bicicleta por graffitis e murais
Como ir do aeroporto ao centro

12 Comments

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *