Passeio no campo

Foto: Esteban Mazzoncini
Foto: Esteban Mazzoncini

 

A proposta era tentadora; passeio a cavalo, empanadas, churrasco argentino e dia de campo. Visitar Buenos Aires e não comer nenhuma super parrillada não rola, né?

Depois de conhecer todos ou quase todos os pontos turísticos da capital argentina, uma boa pedida pode ser passar o dia em uma fazenda para relaxar, comer bem e ainda se divertir dançando (ou tentando) alguns passos de bailes típicos dos hermanos.

Eis que não resisti a proposta e lá fui eu para Cardales, uma pequena cidade que fica a 78 quilômetros de Buenos Aires. Uma hora e pouquinho de viagem e chegamos ao Rancho Santa Susana. Logo na entrada, um gaucho (leia-se gáutcho) bigodudo e simpático nos recebeu. Vestindo bombacha, botas, cinto de medalhas antigas, camisa branca, lenço no pescoço, chapéu e, como se isso fosse pouco, ainda tinha um facão na bainha. Foi assim que o risonho Cirilo nos deus as boas-vindas.

©
Foto: Esteban Mazzoncini

 

Como o dia prometia ser gastronômico, logo na entrada uma pequena degustação de empanadas fritas de carne com um copo de vinho. E antes que alguém pensasse em beber mais um pouquinho, chegou a hora do passeio a cavalo. Eu amo cavalos, então estava mega empolgada para montar, mas não foi dessa vez que pude matar a vontade. O passeio dura pouquinho e ninguém pode cavalgar ou trotar por lá. Me explicaram que era pra evitar algum acidente. Tudo bem, tive que entender.

Diadecampo (15)
Foto: Esteban Mazzoncini

 

Foto: Esteban Mazzoncini

 

Diadecampo (6)
Foto: Esteban Mazzoncini

 

Depois desse curto passeio aproveitei então pra andar de charrete. E olha que foi bem divertido. O dia ajudou e apesar do calendário marcar inverno, o sol apareceu forte e quase deu pra ficar só de camiseta.

Diadecampo (7)
Foto: Esteban Mazzoncini

 

Depois de tantas emoções, chegou a hora tão esperada; a do churrasco argentino. Aquele cheirinho de carne na grelha foi invadindo a fazenda e na momento que o sino bateu, lá fomos nós para o almoço.

O banquete começou com chorizo (linguiça) e morcilla (produto típico feito com pedacinhos de porco e sangue). A consistência da morcilla é meio molengona, mas é uma delícia. Essa é uma das coisas que mais gosto daqui, depois do sorvete argentino, é claro. Bom, depois disso foi a vez do frango, duas variedades de carne e várias saladas caseiras. Um almoço e tanto. Daqueles que você degusta cada pedacinho e saboreia bem devagar.

Ainda bem que os organizadores do passeio também pensaram numa maneira de ajudar na nossa digestão. Depois do almoço, teve show de música folclórica argentina. Uma mostra de bailes de várias regiões do país; chamamé, zamba (não tem nada a ver com o nosso samba, esse é com z mesmo), chacarera, entre outros ritmos.

Diadecampo (12)
Foto: Esteban Mazzoncini

 

Diadecampo (13)
Foto: Esteban Mazzoncini

 

Diadecampo (14)
Foto: Esteban Mazzoncini

 

O que mais gostei foi do momento em que o Cirilo, aquele “gaútcho” simpático, me tirou pra dançar. E como vocês podem ver, eu morri de rir o tempo todo e não dancei nadicas.

Outra atração da fazenda é uma casa antiga transformada em museu. Sabe aqueles banheiros de avó, bem de filme mesmo?

Diadecampo (11)
Foto: Esteban Mazzoncini

 

Diadecampo (10)
Foto: Esteban Mazzoncini

 

Foto: Esteban Mazzoncini
Foto: Esteban Mazzoncini

 

Lampiões, taças, camas de ferro, panelas de cobre, e tantos outros objetos decoram essa linda casa que está aberta para quem quiser conhecer um pouco mais como viviam as pessoas do campo antigamente.

E antes de voltar pra Buenos Aires, ainda teve uma pequena apresentação de destrezas com cavalos. Pra mim, a mais legal foi a parte da argola. Imagina que a pessoa montada no cavalo galopando super rápido tem que colocar um pauzinho dentro de uma argola pequena.

Diadecampo
Foto: Esteban Mazzoncini

 

Diadecampo (16)
Foto: Esteban Mazzoncini

 

Na Argentina, esse desafio chama carrera de sortija. E acreditem, muitos cavaleiros conseguiram. O único que não se saiu muito bem foi o Cirilo, que não tava bem de pontaria nesse dia, mas tinha simpatia de sobra.

Quer saber tudo sobre Buenos Aires? Confira o guia de viagem digital para ter a capital portenha aos seus pés!

Serviço:
O passeio ao Rancho Santa Susana acontece de terça a domingo e dura quase o dia todo. A van pega os passageiros no hotel por volta das 9 da manhã e o retorno para Buenos Aires é ao redor das 17h30. Uma guia que fala português e espanhol acompanha a viagem. Para saber mais informações sobre custos e reservas, entre no site da Viator.

Além deste dia de campo, a Viator oferece muitos outros passeios em Buenos Aires.

Esse passeio que fiz ao Rancho Susana foi a convite da Viator e a excursão foi uma cortesia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *