Como é trabalhar num cruzeiro

Os cruzeiros são como hotéis gigantes flutuantes
Os cruzeiros são como hotéis gigantes flutuantes

Visitar vários países, conversar com estrangeiros, se divertir, guardar dinheiro e viajar pelo mundo. Não parece ruim, né? Tudo isso é possível pra quem trabalha num cruzeiro, mas se você acha que isso é um mar de rosas, prepare-se! Esse tipo de trabalho também tem seu lado ruim.

Muitos brasileiros apostam num trabalho temporário em alto-mar e se aventuram durante vários meses a bordo de algum navio europeu ou americano em busca de viagens, bons salários e algo mais. Eu conheci alguns durante um cruzeiro que fiz pelo Caribe e como sempre tive curiosidade em saber como é a vida dos tripulantes, aproveitei para conversar com eles e conto as suas experiências aqui.

cruzeiro

O Luis Fernandes é um expert em cruzeiros. Depois de estudar hotelaria, ele deixou para trás o Brasil e decidiu trabalhar em nada menos do que nove navios. Uma experiência que fez ele conhecer 28 países até agora.

O sorridente Luis Fernandes
O sorridente Luis Fernandes

Sempre sorridente e brincalhão, o Luis matou todas as minhas curiosidades e me contou um pouco sobre como é a vida da galera que trabalha nesses enormes hotéis flutuantes. ¨Na verdade, é um trabalho duro. Tem dias que a gente chega a trabalhar até 15 horas. Não temos um dia de folga, só algumas horas livres a cada certo tempo e aí aproveitamos para descer em algum porto e conhecer um pouco do lugar ou descansar dentro do navio¨, diz.

A tripulação costuma ficar alojada nos andares de baixo dos navios e tem que dividir as cabines com outros trabalhadores. Se por um lado o trabalho é puxado, pelo menos o pessoal se diverte nas horas vagas. ¨Sempre rola alguma festa entre a gente ou nos reunimos no bar da tripulação, que costuma ser bem agitado. Além disso, a cerveja lá custa pouco¨, conta Luis sorrindo.

Outra brasileira que encontrei trabalhando nesse cruzeiro que fiz foi a Evelyn Carvalhaes. Essa gaúcha também já tem bastante experiência em alto-mar. Há seis anos ela passa vários meses trabalhando como garçonete em navios. ¨A gente trabalha muito e às vezes tem que aguentar chefe estúpido, mas a parte boa disso é conhecer outras culturas e outros idiomas¨, explica.

A Evelyn e seu colega das Filipinas
A Evelyn e seu colega das Filipinas

Mas a Evelyn não embarca sozinha. O seu marido italiano, que também costuma trabalhar em cruzeiros, sempre vai junto. Enquanto ela trabalha em um dos restaurantes do barco, ele fica na recepção. ¨Assim fica mais fácil aguentar. Tem dias que a gente nem se vê porque temos horários diferentes, mas pelo menos a gente sabe que a outra pessoa está lá¨, diz feliz.

E eu garanto que eles trabalham muito mesmo. Lembro que a gente se despedia de noite e logo cedo no café da manhã, estavam lá eles de novo, sorrindo e com a maior disposição.

Trabalhar nos restaurantes buffet é bem puxado
Trabalhar nos restaurantes buffet é bem puxado

Lado bom
O ponto positivo que eu vejo de trabalhar a bordo é que o tripulante quase não gasta o seu salário. As empresas costumam pagar pela alimentação, uniformes e pelo seguro médico, durante os contratos.

Aproveito para deixar um resumo do que o Luis e a Evelyn me contaram e também do que pesquisei em vários sites especializados.
Requisitos para trabalhar em cruzeiros

– Ter no mínimo 18 anos. Porém, algumas empresas só contratam maiores de 21;

– Falar inglês. Para trabalhar num cruzeiro é preciso falar inglês. Não precisa saber tudo, mas a maioria das empresas exige um nível intermediário dos candidatos, principalmente se a posição requere falar com os turistas no navio;

Trabalhar no teatro ou na parte de animação pode ser outra opção
Trabalhar no teatro ou na parte de animação pode ser outra opção

– Ter certas noções nas áreas em que pretende trabalhar ajuda na hora da seleção. Um cruzeiro geralmente emprega mais de mil pessoas em diversas funções; garçons, cozinheiros, atendentes de bar, recepcionistas, vendedores de loja, pessoal para limpeza, para animação no navio, etc.

Dúvidas frequentes

Quanto tempo; geralmente os contratos são de seis a oito meses. Durante esse tempo o tripulante deve trabalhar todos os dias e não pode voltar antes. Se voltar, vai ter que arcar com as despesas da sua passagem de volta.

Cursos; antes de embarcar é preciso fazer alguns cursos de segurança marítima (que deve ser pago do seu bolso). Algumas empresas devolvem o dinheiro desses cursos no final do contrato.

Folgas; quem quiser encarar a vida a bordo precisa saber que muito provavelmente não vai ter nenhum dia inteiro de folga durante vários meses. A galera trabalha em shifts (com horários de escalas) e os períodos de folga costumam ser apenas horas (onde muitas vezes o pessoal aproveita para dormir)

Salário; isso vai depender muito da posição em que for contratado e se vai rolar alguma gorjeta, como acontece com quem trabalha nos restaurantes ou nos bares. Os salários são pagos em dólar e um garçon pode ganhar em média uns US$ 3 mil por mês.

Passagem; antes de aceitar o trabalho, cheque com a companhia se ela cobre as passagens de ida e volta até o porto de embarque e desembarque. Se o tripulante desistir no meio do caminho, provavelmente vai ter que pagar a sua passagem de volta.

Algumas agências que oferecem trabalhos em cruzeiros:

Internacional Serviços Marítimos 

– Cruise Ship Jobs

– Infinity Brazil

– Portside

– Ceceth

– New Crew Consulting

Trabalhos oferecidos diretamente pelas empresas de cruzeiro

– Costa Cruzeiro

Royal Caribbean

– MSC 

– Norwegian

Blogs especializados no assunto

Eu quero trabalhar em navio

Trabalho em navio

Blog dos cruzeiros

Você já trabalhou em algum cruzeiro e que compartilhar a sua experiência com a gente? Vamos adorar saber!!

10 Comments

  • Olá, Cleide. Você pode se informar mais sobre o assunto de trabalhar em cruzeiros nesses links que indico. Boa sorte!

  • Oi Caio, não tenho o email do Luis, mas tem um grupo no Facebook só com gente que trabalha ou já trabalhou em cruzeiros. Dá uma procurada por lá. Abraços e boa sorte na seleção.

  • Olá Lucila! Conheci o Luis Fernandes, e gostaria de saber se vc possui o contato dele! Queria conversar com ele e outros brasileiros da MSC sobre o trabalho a bordo, para aprofundar detalhes. Estou passando por um processo de seleção para a COSTA CROCIERE. Se puder, me passe contato!
    Parabens pelo post.

  • Muito bom seu post. Passou muita informação valiosa pra quem quer se aventurar pelo mundo e ainda ganhar uma grana.

  • Que lindo seu comentário, Ana. É verdade, tanto pra quem embarca quanto para quem trabalha num cruzeiro, são dois lados de sonhos diferentes. Abraços!!

  • Muito linda a matéria e as entrevistas com os jovens brasileiros!
    Vejo que o marketing dos navios “de produzir um sonho para que os passageiros vivam em poucos dias e a ritmo acelerado essa concretização”
    e feito com a exaustão dos que trabalham para que nossa fantasia seja realizada; nada pode falhar, o controle e a organização são perfeitos.
    Já trabalhei num navio MUITOS anos atras, foi ótimo e aproveitei muito.
    Conclusão a vida é feita de momentos, pois tanto os que pagam a passagem como os que se embarcam para trabalhar também acreditam num SONHO…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *